Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
quarta-feira, 21-02-2018
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

MARIA TERESA MAIA GONZÁLEZ CANDIDATA AO PRÉMIO ALMA

MARIA TERESA MAIA GONZÁLEZ CANDIDATA AO PRÉMIO ALMA
Data :
16/10/2015
Local :

​​O Prémio ALMA – Astrid Lindgren Memorial Award é gerido pelo Swedish Arts Council e é o maior prémio internacional no espírito do fomento da literatura e da leitura para crianças e jovens.


Criado em homenagem à escritora sueca Astrid Lindgren, o prémio valoriza os princípios que estiveram subjacentes à sua obra e à sua vida: a salvaguarda dos valores democráticos, da paz, e ao mesmo tempo um profundo humanismo.

O prémio distingue toda a obra de um escritor, ilustrador, contador de histórias, promotor da leitura ou entidades com atividade no âmbito de uma promoção da leitura inclusiva.

A DGLAB é o organismo português que nomeia os candidatos para este prémio.

Para o Prémio ALMA de 2016, cujos nomeados foram ontem anunciados na Feira do Livro de Frankfurt, é candidata a escritora de livros infanto-juvenis Maria Teresa Maia González (Coimbra, 1958).

A sua obra valoriza princípios próximos aos que orientam o prémio e que regeram Astrid Lindgren: o realismo do quotidiano de crianças e jovens que é essencial mostrar, a literatura associada à criatividade dos argumentos. Nas suas obras expõe não só modelos de vida para todos os dias, como também os meios para os conquistar. Temas como a doença e a morte, o medo, o respeito pela natureza, a amizade percorrem as páginas dos seus livros, traduzidos para inúmeras línguas, com particular destaque para A Lua de Joana, que em Portugal vendeu já mais de 350.000 exemplares.

«The 2015 nominee, Maria Teresa Maia Gonzalez, has this rare quality as a writer and as a human being that allows  simple  answers  to  difficult  questions,  that  makes  out  of  truth  and  understanding  the wonder of fiction for young adults.
What she does brilliantly is to release the weight when presenting the hardest and most sensitive issues to the younger ones. In her books one does not feel afraid nor ashamed to speak about death, major handicaps, addictions, to present their frailties and fears, to share it with others. This makes the unique strength of her stories, a particular touch of universal empathy and acceptance that rouses from a strong belief in manhood. No one is alone, everyone is special and everyone is sharing. It is all about  being  part of  the wonder of life in its  numerous, sometimes treacherous, always  amazing  outcomes  and  making  it  simple,  uncomplicated,  possible,  and  even  against  all odds, luminous.
Her books have been already translated into eight languages. A Lua de Joana is a best-seller in different countries: in Portugal the book has already sold more than 350.000 copies.» (excerto do dossiê de candidatura) 

Até ao momento foram também candidatos ao PRÉMIO ALMA as escritoras Alice Vieira e Luísa Dacosta, o projeto Palavras Andarilhas, o Bibliomóvel de Proença-a-Nova, o projeto Planeta Tangerina, os escritores António Torrado e António Mota, e Margarida Botelho, com o projeto Poka Pokani.