Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
domingo, 21-01-2018
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksBolsas-de-Criação-Literária

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS
Data :
07/11/2017

das Bolsas de Criação Literária 2017.


O Programa de atribuição de Bolsas de Criação Literária foi estabelecido pela Portaria nº 123/2017 de 27 de março. O concurso referente à atribuição daquelas bolsas para o ano de 2017 foi aberto entre 18 de julho e 29 de agosto.

O júri de 2017, nomeado por despacho do Ministro da Cultura, foi constituído por Alice Vieira (escritora), João de Melo (escritor), João Paulo de Paiva Boléo (especialista em Banda Desenhada), Helena Carvalhão Buescu (Professora da FLUL), Maria João Brilhante (Professora da FLUL) e Nuno Júdice (escritor). O júri deliberou nomear como seu presidente Helena Carvalhão Buescu.

O júri reuniu ao longo dos meses de julho a outubro, tendo a Direção de Serviços do Livro secretariado as reuniões.

 

  1. Critérios de avaliação das candidaturas estabelecidos pelo júri

A partir dos critérios de seleção expostos no regulamento, o júri deliberou estabelecer como classificações norteadoras da avaliação das candidaturas as pontuações de 1, 3, 5, 8 e 10, com uma ponderação atribuída a cada critério efetuada da seguinte forma:

  • Domínio da língua – 20%

  • Qualidade literária e estética do projeto – 60%

  • Trabalhos de natureza literária já realizados – 10%

  • Adequação ao tempo da bolsa – 10%

Foram fixadas, para o ano de 2017, 12 Bolsas – 6 de 12 meses e 6 de 6 meses –, a serem atribuídas nas modalidades de Banda Desenhada, Dramaturgia, Ficção Narrativa, Poesia e Literatura para Infância e Juventude.

O número total de candidaturas apresentado foi de 499, distribuído da seguinte forma pelas diferentes áreas: Banda Desenhada – 21; Dramaturgia – 23;  Ficção Narrativa – 297; Literatura para a Infância e Juventude – 77; Poesia – 81.

O júri procedeu a uma seriação dos candidatos em cada uma das modalidades, de acordo com as pontuações e critérios acima estabelecidos.

 

  1. Proposta do júri para atribuição das doze Bolsas de Criação Literária

O júri propôs que as 12 Bolsas fossem atribuídas pelas cinco áreas a concurso do seguinte modo: 2 para a Banda Desenhada, 2 para a Dramaturgia, 4 para a Ficção Narrativa, 2 para a Literatura para a Infância e Juventude, e 2 para a Poesia.

A avaliação final de cada uma das candidaturas foi uma média ponderada do conjunto dos elementos avaliadores das candidaturas, de que resultou uma proposta unânime para a atribuição das doze Bolsas. A Ata final do júri, de acordo o ponto 2 do artigo 16 do Regulamento anexo à portaria nº 123/2017 de 27 de março, foi homologada pelo Diretor-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas a 6 de novembro de 2017.

Ficaram selecionados os projetos dos seguintes candidatos:

Banda Desenhada:

Marta de Sousa Teives Henriques (12 meses)

Nuno Jorge de Avelar Teixeira Saraiva (6 meses)

Dramaturgia:

Elmano Sancho Esteves Saraiva (6 meses)

Gisela de Jesus Pacheco Cañamero de Matos (12 meses)

Ficção Narrativa:

Ana Margarida Taborda Duarte Martins de Carvalho (12 meses)

Isabel Cristina Folgado Rio Novo (6 meses)

Margarida Isabel Botelho Falcão Paredes (6 meses)

Patrícia Brito Subtil de Carvalho Portela (12 meses)

Literatura para a Infância e Juventude:

Carla Cristina Maia de Almeida (6 meses)

Maria do Rosário Alçada Baptista Palha de Araújo (12 meses)

Poesia:

Raquel Maria Nobre Guerra de Oliveira (6 meses)

Rui Jorge Penote Cóias (12 meses)

 

  1. Considerações finais

Os restantes candidatos não foram selecionados para proposta de Bolsa de Criação Literária dado o número limitado de bolsas a atribuir e porque, na ponderação dos diversos elementos, mereceram uma avaliação menos elevada por parte do júri. No entanto, o júri congratulou-se com o número significativo de projetos apresentados com grande qualidade, considerando que tal facto poderia levar ao aumento do número de bolsas a atribuir futuramente.

Atendendo ao elevado número de candidaturas, o júri deliberou que, de acordo com a alínea d) do nº 1 do artigo 124.ºdo Código de Procedimento Administrativo, na sua redação atual, não se justifica proceder à audiência dos interessados a fim de não comprometer os prazos definidos para a atribuição das Bolsas ainda em 2017, ao que acresce a natureza confidencial dos projetos literários a concurso, facto pertinente que importa salvaguardar.