Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
domingo, 18-02-2018
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksAntero-de-quental-

ANTERO DE QUENTAL

ANTERO DE QUENTAL
Data :
19/01/2018

​Nº. 182 da Coleção Obras Clássicas da Literatura Portuguesa, Antero de Quental, Poesia II: Sonetos Completos. Publicada pela Abysmo, a edição esteve a cargo de Luiz Fagundes Duarte.


​Este é o segundo volume da edição crítica da Poesia de Antero de Quental, onde se reúnem todos os sonetos conhecidos. Pretende-se, com esta edição distribuída por três volumes, disponibilizar ao leitor de hoje o conjunto da obra poética do Autor: a que ele publicou em livro e manteve; a que publicou em livro mas destruiu ou de algum modo alterou; e a que publicou dispersamente ou deixou inédita.

            O CONVERTIDO

 

          (A Gonçalves Crespo)

 

Entre os filhos dum século maldito

Tomei também lugar na ímpia mesa,

Onde, sob o folgar, geme a tristeza

Duma ânsia impotente de infinito.

 

Como os outros, cuspi no altar avito

Um rir feito de fel e de impureza…

Mas, um dia, abalou-se-me a firmeza,

Deu-me um rebate o coração contrito!

 

Erma, cheia de tédio e de quebranto,

Rompendo os diques ao represo pranto,

Virou-se para Deus minha alma triste!

 

Amortalhei na Fé o pensamento,

E achei a paz na inércia e esquecimento…

Só me falta saber se Deus existe!