Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
domingo, 18-02-2018
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksArtesgráficasetipográficas

Artes gráficas e tipográficas no início do século XXI

Artes gráficas e tipográficas no início do século XXI
                  

Os sítios e blogues disponíveis na Internet sobre artes gráficas são tão criativos e originais quanto seria de esperar e, dada a quantidade e a qualidade de informação que disponibilizam, bastante instrutivos. São também muitos. Consulte, a título de exemplo, os quatro blogues da autoria da especialista La Salete de Sousa [...] que os concebeu, entre 2005 e 2013, como uma compilação de vários artigos de diferentes autores: Design de Comunicação, Glossário Tipográfico, Tipografia em Portugal e Tipografias. Já um sítio como o inglês Creative Bloq oferece a dimensão global e multifacetada desta atividade.

Nesta página, para além de se referenciarem alguns dos mais interessantes sítios sobre artes gráficas, destaca-se a relação design gráfico – alfabeto e coligem-se os mais importantes sítios sobre conservação e restauro.

Assim, em Portugal, aconselha-se a consulta dos sítios:

  • O Portal das Artes Gráficas administrado por  Rui Sebrosa, online desde 1998, constitui uma referência no âmbito da indústria gráfica (50.000 acessos e 1.000.000 de páginas consultadas por mês) oferecendo essencialmente informação e ferramentas úteis.
  • Tipografia, o sítio do especialista português Paulo Heitlinger, é provavelmente o que mais informação sistematizada disponibiliza, desde 2006, sobre artes gráficas e tipográficas, tanto de natureza prática, como técnica e teórica, incluindo um glossário e notas sobre a história da tipografia.
  • The Ressabiator, o sítio sobre design gráfico (mas não só) onde Mário Moura, professor (teoria da imagem, tipografia, book design) da Escola de Belas Artes do Porto, escreve desde 2004..
  • O blogue da Associação de Artes Gráficas A oficina do cego (na blogosfera desde 20110) que mantém em funcionamento a tipografia do século XX. 

Em outras línguas, nomeadamente em inglês, sugere-se os sítios Fonts sobre fontes tipográficas e tipos de letra e Identifont sobre identificação de fontes: online desde 2000, é considerado o maior diretório independente de fontes da Internet. Um pouco nos antípodas, Fontself é um sítio de jovens que promove a inovação em tecnologias de fontes e de tipografia.

Para selecionar a melhor fonte para um determinado tipo de trabalho, a Internet oferece-nos diversos conselhos de diferentes especialistas. Em castelhano Garabatitos, o blogue de design gráfico chileno de Juan Pablo de Gregório e Francisca Reis, ensina-nos quinze dicas para selecionar um tipo de letra. Em inglês, e entre muita outra informação pertinente, John Boardley, autor do sítio I love typography , indica os princípios básicos para a escolha de fontes em On choosing type 

A relação design gráfico –  alfabeto

As potencialidades criativas das artes gráficas na Internet são-nos propostas em múltiplas páginas, de entre as quais se elege, pela sua importância recorrente e vital, a relação design gráfico – alfabeto. Veja-se o blogue português  Webcedário, depois transferido para a respetiva página do facebook que utiliza o alfabeto para brincar com o humor e a crítica social, ou o sítio Bembozoo de Roberto de Vicq de Cumptich, construído com letras e pontuação Bembo (uma fonte tipográfica do século XV) que alia as artes gráficas à ilustração para os mais novos.

O conhecido fotojornalista Zoran Milich publicou o livro The city abc book, que convida à descoberta de signos e símbolos gráficos escondidos na cidade. O Visual dictionary, por seu turno, um projeto da autoria do designer Matthew Knight, propõe a recolha e a partilha colectivas das letras e das palavras que nos rodeiam no mundo real. Conta atualmente com milhares de imagens e cerca de 2000 contribuidores registados.  

Conservação e restauro

No que respeita ao livro enquanto objeto físico, não podemos deixar de mencionar as páginas dos sítios que providenciam a conservação e o restauro de livros no nosso país, nomeadamente as do Departamento de Conservação e Restauro do Instituto dos Museus e da Conservação. Já o Centro Luso Italiano de Conservação e Restauro, sediado no Porto, é uma empresa que associação a conservação e o restauro, bem como a respetiva formação, a projetos culturais e turísticos. 

Em língua portuguesa, o sítio brasileiro CPBA (Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos), projecto que reúne dezenas de arquivos, bibliotecas, museus e universidades brasileiros, disponibliza mais de 50 títulos online sobre conservação e restauro de livros. Este projeto conta ainda com o apoio do prestigiado CLIR - Council on Library and Information Resources, a conhecida instituição americana sem fins lucrativos cuja missão é manter e melhorar o acesso à informação para as gerações futuras. O sítio espanhol Bibliofilia também fornece informação sobre esta temática, em particular sobre conservação e valor do livro antigo.

A principal referência americana nesta área é o sítio Conservation online: CoOL, uma plataforma digital que oferece e todos os recursos disponíveis para quantos trabalham na preservação da nossa herança cultural. A Biblioteca do Darmouth College, Hanover, Alemanha, disponibiliza também todo uma série de informação sobre preservação e restauro de documentos, entre os quais o Simple book repair manual, e um útil conjunto de Perguntas frequentes sobre este tópico. O do sítio da holandesa Kim Heijdenrijk, Kimbooktu (2006-2011) sobre objectos para amantes de livros oferece também um  pequeno anual sobre tratamento e conservação de livros destinado aos mais novos.